domingo, 11 de marzo de 2012

PORTUGAL: SEMPRE NA INSPIRAÇÃO (3).


PRESO DA TRISTEZA

Numa terra longínqua,
fico preso da tristeza,
e penso, meu Deus do Céu!
que saudade tenho da minha terra!


A raiva sujeita-me à sua força,
e sinto-me sozinho, muito sozinho,
e pergunto-me, pois, pois
será este o meu destino?


Ai, meu Deus, que longe… que longe!
minha terra e minha gente, que longe fica!
e eu, morrendo de saudade,
espero às vezes uma oceânica dica...



PORTUGAL: SEMPRE NA INSPIRAÇÃO


PORTUGAL: SEMPRE NA INSPIRAÇÃO (2).