miércoles, 12 de diciembre de 2012

POEMAS EM PORTUGUÊS (3).

File:Henry the Navigator1.jpg

CAVALEIRO MONGE

Olhando ao mar,
Desde o profundo monte,
Tem forte o peito,
O cavaleiro monge.


Sacro estandarte porta,
Com uma cruz vermelha,
Emblema limpo que vai,
Numa branca bandeira.


Cristo é a sua ordem,
Cristo é o seu general,
Cristo ilumina sua monarquia,
Bendita coroa de Portugal.


Cavaleiro das quinas,
Sangue de Viriato,
Guarda das estrelas,
Do céu lusitano.


Do Medievo filho,
Valente e nobre cavaleiro,
Clarão de forte garganta,
Luz de católico império.


Cavaleiro da liberdade,
Cavaleiro do Evangelho,
Oh, cavaleiro monge,
Espada firme do mosteiro.


Cavaleiro monge,
Eco da bela história,
Quanta vida nos caminhos,
Cruzado da glória.


Cavaleiro português,
Cavaleiro monge,
É possível que ainda,
Nao fiques tão longe....






ANTONIO MORENO RUIZ: UNA POESÍA BRASILEÑA.

 

ANTONIO MORENO RUIZ: UNA POESÍA BRASILEÑA (2).

 

PORTUGAL: SEMPRE NA INSPIRAÇÃO

 

PORTUGAL: SEMPRE NA INSPIRAÇÃO (2).


PORTUGAL: SEMPRE NA INSPIRAÇÃO (3).

 

SAUDADE DE PORTUGAL.


SAUDADE DE PORTUGAL (II).

 

SAUDADE DE PORTUGAL (III).

 

SAUDADE DE PORTUGAL (IV).

  
ENTRE A SAUDADE DE PORTUGAL E UMA POESIA BRASILEIR...

SAUDADE DE PORTUGAL (V).

 
SAUDADE DE PORTUGAL (VI).

POEMAS EM PORTUGUÊS.



POEMAS EM PORTUGUÊS (2).