viernes, 1 de marzo de 2013

POEMAS EM PORTUGUÊS (VI).


Imagen extraída de  www.militaryphotos.net


TROVA DO CAVALEIRO NEGRO

A TROVA DE MARCELINO DA MATA,
TROVA DO CAVALEIRO NEGRO,
TROVA DA LUTA ULTRAMARINA,
TROVA PARA O MELHOR GUERREIRO.

Filho da Guiné,
Herói do Ultramar,
Marcelino da Mata,
Honra de Portugal.


Cavaleiro negro
Bandeira de fidelidade,
Triste é esquecer,
Os homens de lealdade....

Sempre o desagradecido,
Esquecimento pode ter,
Mas isso não se acha, não,
Num bom português.


Qual cavaleiro monge,
Cavaleiro negro,
A história portucalense,
Foi seu vivo exemplo.


Nos dias da traição,
Sobressaiu sua bravura,
Como grande leão africano,
De lusitana armadura.


Nos tempos desgraçados,
Brilha mais o heroísmo,
Não cala o sangue que ferve,
De puro patriotismo.
 

Eis aí o tenente-coronel,
Eis aí o soldado mais condecorado,
Frente à vergonha e rapina,
Ergue-se forte o homem laureado!


Eu canto esta trova,
Em cabal reconhecimento,
Canto Marcelino da Mata,
Canto por um português renascimento!


A TROVA DE MARCELINO DA MATA,
TROVA DO CAVALEIRO NEGRO
TROVA DA LUTA ULTRAMARINA,
TROVA DO MELHOR GUERREIRO.





ANTONIO MORENO RUIZ: UNA POESÍA BRASILEÑA.


ANTONIO MORENO RUIZ: UNA POESÍA BRASILEÑA (2).


PORTUGAL: SEMPRE NA INSPIRAÇÃO


PORTUGAL: SEMPRE NA INSPIRAÇÃO (2).



PORTUGAL: SEMPRE NA INSPIRAÇÃO (3).
 


SAUDADE DE PORTUGAL.

SAUDADE DE PORTUGAL (II).


SAUDADE DE PORTUGAL (III).


 


SAUDADE DE PORTUGAL (IV).
 
ENTRE A SAUDADE DE PORTUGAL E UMA POESIA BRASILEIR...

SAUDADE DE PORTUGAL (V).
 
SAUDADE DE PORTUGAL (VI).
 
POEMAS EM PORTUGUÊS.

POEMAS EM PORTUGUÊS (2).


 
POEMAS EM PORTUGUÊS (3).

POEMAS EM PORTUGUÊS (4).



POEMAS EM PORTUGUÊS (5).