viernes, 2 de agosto de 2013

POEMAS EM PORTUGUÊS (XI)



*Imagen extraída de labodeguitadeeloryn.blogspot.com


ONDE NASCEU ESTA CANÇÃO?

Onde nasceu esta canção,
E seu lamento?
Em hora triste,
Com meu tormento.

Esta canção nasceu,
Fazendo na minha alma,
Un muito duro golpe,
Sem mesura nem calma.

Canção triste que fica,
Voando direita para a saudade,
Por muitos sonhos e lembranças,
Pelo mar da liberdade.

Esta canção, onde nasceu?
Onde nasceu esta canção?
No fundo do meu sentimento....
Onde nasceu, então?

Tem algo de amor esta canção?
Algo, algo tem,
Sim, pois, pois,
Algo e alguém.

Onde nasceu esta canção?
Nas entranhas do fado,
Que tanto valorizo,
Que tanto amo.

O poeta é um fingidor?
Eu não estou fingindo!
Onde nasceu esta canção;
Isso vou trazendo.

Canção do velho e do novo,
Palavras da tradição,
Eis aqui, minha gente,
Onde nasceu minha canção.




 



ANTONIO MORENO RUIZ: UNA POESÍA BRASILEÑA.



ANTONIO MORENO RUIZ: UNA POESÍA BRASILEÑA (2).



PORTUGAL: SEMPRE NA INSPIRAÇÃO



PORTUGAL: SEMPRE NA INSPIRAÇÃO (2)




PORTUGAL: SEMPRE NA INSPIRAÇÃO (3).
 



SAUDADE DE PORTUGAL.

SAUDADE DE PORTUGAL (II).


SAUDADE DE PORTUGAL (III).



SAUDADE DE PORTUGAL (IV).
 
 ENTRE A SAUDADE DE PORTUGAL E UMA POESIA BRASILEIR...

SAUDADE DE PORTUGAL (V).
 
 SAUDADE DE PORTUGAL (VI).

POEMAS EM PORTUGUÊS.

POEMAS EM PORTUGUÊS (2).

POEMAS EM PORTUGUÊS (3).

POEMAS EM PORTUGUÊS (4).
 
POEMAS EM PORTUGUÊS (5).


POEMAS EM PORTUGUÊS (VI).


POEMAS EM PORTUGUÊS (VII).

POEMAS EM PORTUGUÊS (VIII).


 POEMAS EM PORTUGUÊS (IX)



POEMAS EM PORTUGUÊS (X)