domingo, 6 de octubre de 2013

POEMAS EM PORTUGUÊS (XIII)



SANGUE PORTUGUÊS

Bate forte, muito forte,
o meu sangue português,
cada dia mais e mais....
Quem diz quão remoto é?


Tenho aspirações a cavaleiro monge,
levando sempre a cruz ao alto,
tenho a imagem duma tourada marinheira,
batendo as ondas como forcado.


Na mente, como um poeta enamorado,
tenho o gozo da dor,
sentimento que não para de florir,
numa bandeira de branca cor.


Tenho sabor de canela e café,
tenho os rios e os montes,
tenho um fado que se modela inspirado,
e o meu sangue bate forte....


Com olhos de criança e alma de meiguice,
o sangue português bate forte,
Portugal: Eu sou teu filho próximo,
e serei teu defensor até a morte!