jueves, 9 de enero de 2014

POEMAS EM PORTUGUÊS (XVI)



EU QUISERA UM FADO


Quisera eu um fado tradicionalista,

que fosse cantado por João Ferreira Rosa,

um fado que falasse desse Portugal,

que nunca foi morto e de novo ergue sua honra.



Um fado de igrejas, praças, touradas e vinhos,

um fado de santos, descobridores e mares,

um fado que falasse de amores e esperanças,

um fado que recolhesse todas as saudades.



Quisera eu o retorno d’El-Rei,

num fado cujo nome fosse Portugal,

ai Portugal! Que longe, que longe....

Portugal, meu amor, que longe estás....










ANTONIO MORENO RUIZ: UNA POESÍA BRASILEÑA.




ANTONIO MORENO RUIZ: UNA POESÍA BRASILEÑA (2).




PORTUGAL: SEMPRE NA INSPIRAÇÃO




PORTUGAL: SEMPRE NA INSPIRAÇÃO (2)




PORTUGAL: SEMPRE NA INSPIRAÇÃO (3).
 




SAUDADE DE PORTUGAL.



SAUDADE DE PORTUGAL (II).


SAUDADE DE PORTUGAL (III).