viernes, 1 de agosto de 2014

POEMAS EM PORTUGUÊS (XXIII)


AGORA, EU SOU O MENINO DOS OLHOS TRISTES 

Eu já ouvi uma canção,
duma menina de olhos tristes,
mas o menino dos olhos tristes,
agora sou eu.

Longe do meu lar,
recebo uma triste notícia:
a perda de um familiar querido,
um familiar especial, óptimo....
Que posso fazer, meu Deus?
Nada... Nem sequer despedir-me....

Fica a alma quebrada,
fica o meu rosto cheio de dor,
agora, sou eu o menino dos olhos tristes,
sou o menino que sente a sua pátria a morrer
através do seu sangue e dos seus sentimentos....

Agora, eu sou o menino dos olhos tristes.